Voltar

Agricultura

Consórcio Pesquisa Café, ao longo dos 16 anos de existência, vem celebrando convênios de cooperação técnica e financeira com entidades de extensão rural, Organizações Estaduais de Pesquisa Agropecuária (Oepas) e universidades localizadas nas regiões produtoras. Nesse período de parcerias, a produção brasileira de café quase triplicou. Com praticamente a mesma área cultivada, o país, que antes produzia 18,9 milhões de sacas de café por ano, passou a produzir 48,5 milhões.

A pesquisa cafeeira é hoje o pilar central da cafeicultura sustentável no Brasil. Os trabalhos de pesquisa e fomento são fundamentais para a diversificação, melhoria da qualidade e o aumento da produtividade das lavouras. As tecnologias desenvolvidas e repassadas aos produtores por meio da assistência técnica e extensão rural trazem melhorias na renda e na qualidade de vida do homem do campo.

A presença de entidades de extensão rural no Consórcio tem colaborado para que os resultados da pesquisa cheguem ao produtor de forma planejada e eficiente. Em Rondônia, a Associação de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado (Emater) atua junto aos agricultores familiares desde 1971 e, mais recentemente, em parceria com a Embrapa Café, Embrapa Rondônia e outras instituições participantes do Consórcio Pesquisa Café.

Revitalização
 

Segundo chefe de Transferência de Tecnologia da Embrapa Rondônia, Samuel Oliveira, o governo do estado, através da Emater, e em parceria com a Embrapa e outros órgãos, pretende implantar o Plano de Revitalização da Lavoura Cafeeira em Rondônia. “O Plano visa aumentar a produção e a produtividade do café, aumentando a competitividade da cafeicultura estadual”, explica Samuel acrescentando que “prevê, ainda, a escolha de uma equipe exclusiva para prestar assistência técnica focada e intensiva”.

A Embrapa capacitará técnicos da Emater para que possam transmitir conhecimentos e novas tecnologias aos cafeicultores da região. A proposta visa, também, a promoção da nova cultivar de café lançada no estado pela Embrapa, a Conilon BRS Ouro Preto, que alcança a produtividade de 70 sacas por hectare. O Plano tem sido discutido em reuniões com prefeitos, pesquisadores, técnicos e representantes da Assembleia Legislativa de Rondônia e tem recebido apoio dos segmentos do agronegócio do café.

Consórcio Pesquisa Café 

Criado em 1997, reúne instituições de pesquisa, ensino e extensão localizadas nas principais regiões produtoras. Seu modelo de gestão incentiva a interação das instituições e a otimização de recursos humanos, físicos, financeiros e materiais. Ele agrega nove instituições, além da Embrapa: Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Instituto Agronômico (IAC), Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Empresa de Pesquisa Agropecuária do Estado do Rio de Janeiro (Pesagro/Rio), Universidade Federal de Lavras (Ufla) e Universidade Federal de Viçosa (UFV).
 
 
Embrapa Café - Gerência de Transferência de Tecnologia
Texto: Carolina Costa – MTb 7433/DF e Flávia Bessa – MTb 4469/DF
Sites: www.sapc.embrapa.br e www.consorciopesquisacafe.com.br
 

14/08/2013

Consórcio Pesquisa Café, ao longo dos 16 anos de existência, vem celebrando convênios de cooperação técnica e financeira com entidades de extensão rural, Organizações Estaduais de Pesquisa Agropecuária (Oepas) e universidades localizadas nas regiões produtoras. Nesse período de parcerias, a produção brasileira de café quase triplicou. Com praticamente a mesma área cultivada, o país, que antes produzia 18,9 milhões de sacas de café por ano, passou a produzir 48,5 milhões.

A pesquisa cafeeira é hoje o pilar central da cafeicultura sustentável no Brasil. Os trabalhos de pesquisa e fomento são fundamentais para a diversificação, melhoria da qualidade e o aumento da produtividade das lavouras. As tecnologias desenvolvidas e repassadas aos produtores por meio da assistência técnica e extensão rural trazem melhorias na renda e na qualidade de vida do homem do campo.

A presença de entidades de extensão rural no Consórcio tem colaborado para que os resultados da pesquisa cheguem ao produtor de forma planejada e eficiente. Em Rondônia, a Associação de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado (Emater) atua junto aos agricultores familiares desde 1971 e, mais recentemente, em parceria com a Embrapa Café, Embrapa Rondônia e outras instituições participantes do Consórcio Pesquisa Café.

Revitalização
 

Segundo chefe de Transferência de Tecnologia da Embrapa Rondônia, Samuel Oliveira, o governo do estado, através da Emater, e em parceria com a Embrapa e outros órgãos, pretende implantar o Plano de Revitalização da Lavoura Cafeeira em Rondônia. “O Plano visa aumentar a produção e a produtividade do café, aumentando a competitividade da cafeicultura estadual”, explica Samuel acrescentando que “prevê, ainda, a escolha de uma equipe exclusiva para prestar assistência técnica focada e intensiva”.

A Embrapa capacitará técnicos da Emater para que possam transmitir conhecimentos e novas tecnologias aos cafeicultores da região. A proposta visa, também, a promoção da nova cultivar de café lançada no estado pela Embrapa, a Conilon BRS Ouro Preto, que alcança a produtividade de 70 sacas por hectare. O Plano tem sido discutido em reuniões com prefeitos, pesquisadores, técnicos e representantes da Assembleia Legislativa de Rondônia e tem recebido apoio dos segmentos do agronegócio do café.

Consórcio Pesquisa Café 

Criado em 1997, reúne instituições de pesquisa, ensino e extensão localizadas nas principais regiões produtoras. Seu modelo de gestão incentiva a interação das instituições e a otimização de recursos humanos, físicos, financeiros e materiais. Ele agrega nove instituições, além da Embrapa: Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Instituto Agronômico (IAC), Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Empresa de Pesquisa Agropecuária do Estado do Rio de Janeiro (Pesagro/Rio), Universidade Federal de Lavras (Ufla) e Universidade Federal de Viçosa (UFV).
 
 
Embrapa Café - Gerência de Transferência de Tecnologia
Texto: Carolina Costa – MTb 7433/DF e Flávia Bessa – MTb 4469/DF
Sites: www.sapc.embrapa.br e www.consorciopesquisacafe.com.br