Voltar

Meio Ambiente

A secretaria de Agricultura, Pecuária e Regularização (Seagri) e a Universidade Federal de Rondônia (UNIR) por meio do Campus Avançado de Presidente Médici, estudam uma parceria para a implantação na região central do Estado de um Centro Tecnológico de Piscicultura. O secretário Evandro Padovani reuniu-se com o Coordenador do Departamento de Engenharia de Pesca e Aquicultura de Presidente Médici professor Josenildo Souza e Silva, conhecendo os estudos de melhoramento genético do tambaqui em tanques redes.

Com laboratórios em fase de montagem e estudos em andamento, a viabilidade de criar tambaqui com melhoramento genético através uma parceria entre a Seagri e a UNIR Campus Avançado de Presidente Médici, começa a conquistar espaço com os estudos entre os técnicos das duas instituições.

Conhecido como “Projeto Peixe Vivo” com o apoio do Ministério da Pesca e Aquicultura, do ITAM, (Instituto de Tecnologia de Maringá-PR), Sebrae e Sedes, os estudos para melhoramento genético do tambaqui estão avançados em Rondônia.

O “Peixe Vivo” trabalha com 9 colônias de pescadores artesanais no Estado. O resultado deste projeto é de que em 2013 implantou uma fábrica de gelo em Presidente Médici e uma unidade de beneficiamento em Pimenteiras do Oeste. De acordo com o Coordenador Executivo do Projeto professor Clodoaldo de Oliveira Freitas, são 1.300 pescadores divididos em 9 colônias em 9 municípios.

Conscientização ambiental

O projeto contempla 10 alunos bolsistas que realizam o trabalho de campo. Cada aluno é responsável pela colônia de cada município, orientando de desde o trabalho de pesca a conscientização ambiental, que apresenta excelentes resultados com os pescadores respeitando todos os períodos que vai da piracema a medida das espécies a ser pescada e comercializada. A colônia de pescadores de Ariquemes, no ano passado obteve excelentes resultados produzindo em torno de 300 toneladas de pescado com um faturamento de R$ 1,8 milhões.

O secretário Evandro Padovani, ao conhecer as instalações e tanques experimentais de piscicultura no Campus Avançado de Presidente Médici apresentados pelo professor Josenildo Souza e Silva, firmou compromisso de buscar junto ao Ministério da Pesca recursos para firmar um convênio aproveitando as benfeitorias que já existentes implantando ali, na região central do Estado um Centro Tecnológico de Piscicultura.

Texto e fotos José Luiz Alves
Fonte: Seagri

15/07/2013

A secretaria de Agricultura, Pecuária e Regularização (Seagri) e a Universidade Federal de Rondônia (UNIR) por meio do Campus Avançado de Presidente Médici, estudam uma parceria para a implantação na região central do Estado de um Centro Tecnológico de Piscicultura. O secretário Evandro Padovani reuniu-se com o Coordenador do Departamento de Engenharia de Pesca e Aquicultura de Presidente Médici professor Josenildo Souza e Silva, conhecendo os estudos de melhoramento genético do tambaqui em tanques redes.

Com laboratórios em fase de montagem e estudos em andamento, a viabilidade de criar tambaqui com melhoramento genético através uma parceria entre a Seagri e a UNIR Campus Avançado de Presidente Médici, começa a conquistar espaço com os estudos entre os técnicos das duas instituições.

Conhecido como “Projeto Peixe Vivo” com o apoio do Ministério da Pesca e Aquicultura, do ITAM, (Instituto de Tecnologia de Maringá-PR), Sebrae e Sedes, os estudos para melhoramento genético do tambaqui estão avançados em Rondônia.

O “Peixe Vivo” trabalha com 9 colônias de pescadores artesanais no Estado. O resultado deste projeto é de que em 2013 implantou uma fábrica de gelo em Presidente Médici e uma unidade de beneficiamento em Pimenteiras do Oeste. De acordo com o Coordenador Executivo do Projeto professor Clodoaldo de Oliveira Freitas, são 1.300 pescadores divididos em 9 colônias em 9 municípios.

Conscientização ambiental

O projeto contempla 10 alunos bolsistas que realizam o trabalho de campo. Cada aluno é responsável pela colônia de cada município, orientando de desde o trabalho de pesca a conscientização ambiental, que apresenta excelentes resultados com os pescadores respeitando todos os períodos que vai da piracema a medida das espécies a ser pescada e comercializada. A colônia de pescadores de Ariquemes, no ano passado obteve excelentes resultados produzindo em torno de 300 toneladas de pescado com um faturamento de R$ 1,8 milhões.

O secretário Evandro Padovani, ao conhecer as instalações e tanques experimentais de piscicultura no Campus Avançado de Presidente Médici apresentados pelo professor Josenildo Souza e Silva, firmou compromisso de buscar junto ao Ministério da Pesca recursos para firmar um convênio aproveitando as benfeitorias que já existentes implantando ali, na região central do Estado um Centro Tecnológico de Piscicultura.

Texto e fotos José Luiz Alves
Fonte: Seagri