O pesquisador Alaerto Marcolan tomou posse como chefe-geral da Embrapa Rondônia em solenidade realizada na manhã desta sexta-feira, 1º de abril, na sede da Unidade, em Porto Velho. O evento reuniu grande público e contou com a presença da presidente em exercício da Embrapa e diretora-executiva de Administração e Finanças da Embrapa, Vania Beatriz Castiglioni. O senador Valdir Raupp, o vice-governador de Rondônia Daniel Pereira e demais autoridade estaduais, municipais e parceiros que atuam no desenvolvimento da agricultura de Rondônia prestigiaram o momento e fortaleceram seu apoio à atuação da Embrapa no estado.

No início da solenidade, César Teixeira, chefe-geral que deixa o cargo, destacou os avanços obtidos em seus seis anos de gestão e deixou os agradecimentos a todos os colegas, instituições e parceiros que deram suporte para que fossem geradas tecnologias de grande importância para Rondônia e o restante do país e que já estão disponíveis para a sociedade. “Tenho muito orgulho de ter participado do desenvolvimento de tecnologias que serão de fundamental importância para o desenvolvimento do país”, ressaltou. César Teixeira continua na nova gestão, agora como chefe de pesquisa. “Quero contribuir com a nova gestão e continuar oferecendo o meu melhor”, complementa.

De acordo com Vania Castiglioni, a nova gestão tem muitos desafios, das mais diversas ordens. O Brasil desponta hoje como um dos principais países a contribuir para a disponibilidade de alimentos no mundo, é neste contexto que estão nossos principais esforços. “Precisamos ter a capacidade de gerir conhecimento disponível para oferecer soluções tecnológicas para os problemas que se apresentam e este é um desafio assumido por todos nós da Embrapa”, afirmou Vania Castiglioni, que deu as boas-vindas ao novo chefe-geral e sua equipe. O senador Valdir Raupp complementou dizendo que “a Embrapa é fundamental para o desenvolvimento do nosso país. Num momento de crise como o que estamos passando é a agropecuária e o agronegócio que seguram a economia, especialmente a de Rondônia. Somos fortes nesta área e isso devemos muito à Embrapa, por todo o desenvolvimento que nos proporciona”.

Já o vice-governador Daniel Pereira destacou a atuação da Embrapa Rondônia no desenvolvimento de tecnologias que estão disponíveis para Rondônia e o mundo e confirmou a continuidade de parceria. “Já trabalhamos juntos e precisamos fortalecer ainda mais esta atuação. Queremos o apoio da Embrapa na piscicultura do estado, que hoje é o maior produtor de peixes em cativeiro do país. Nos ajudem a fazer a multiplicação dos peixes aqui, num processo seguro e com qualidade”, solicitou o vice-governador. Neste sentido, já faz parte dos planos do novo chefe-geral fortalecer ainda mais as parcerias, melhorar a articulação com as bancadas federal e estadual e atender as demandas do estado.

Novidades e avanços na pesquisa

Uma das novidades para a área de pesquisa da Embrapa Rondônia é o olhar voltado também para a piscicultura, grande demanda da região e que Marcolan vai buscar meios para atender, seja com parcerias, com a inserção de atividades nos atuais grupos de pesquisa e também com o fortalecimento de ações de Transferência de Tecnologia nesta área. “Estamos atentos às demandas da sociedade e também com os olhos voltados para o futuro. Vamos fortalecer atuais parcerias e formar as necessárias para que possamos atuar em piscicultura no estado e região”, reforça.

As áreas de pesquisas em café e pecuária também ganharão reforço. Marcolan tem como meta tornar a Embrapa Rondônia referência em café e pecuária na Amazônia e região. Quanto à cafeicultura o trabalho, segundo o novo chefe-geral, já está bem adiantado, com fortes ações e áreas de observação no Acre, Amazonas e também no Mato Grosso. O desenvolvimento e a disponibilização de novas cultivares de café também devem impulsionar este trabalho, assim como a intensificação em pesquisas com mecanização da cafeicultura, que pode minimizar um dos grandes problemas que é a falta de mão de obra no campo. Rondônia é o quinto maior produtor de café do país, o segundo da espécie canéfora (conilon e robusta) e o estado e a região têm potencial para superar estes números e promover um impacto positivo na economia e na vida dos produtores com a adoção de tecnologias nos cafezais.

Na pecuária de leite e de corte, Marcolan ressalta o potencial da Embrapa Rondônia para também ser referência regional, especialmente em pastagem, reprodução animal e qualidade do leite. Para ele, é preciso fortalecer os trabalhos em sistemas integrados para a recuperação de áreas degradadas, aumentando a produtividade sem avançar sobre a floresta. Também há grandes avanços na área de reprodução animal, com tecnologias já acessíveis aos produtores de Rondônia e do mundo e o desenvolvimento de outras também de abrangência internacional, como o Vetscore – avaliação da condição nutricional do rebanho, e novos protocolos para a Inseminação Artificial por Tempo Fixo (IATF), em Blocos. “Uma das ações prioritárias da gestão é colocar o Laboratório de Qualidade Leite em funcionamento. Ele atenderá toda a Amazônia Ocidental, serão realizadas as análises do leite produzido nos estados de Rondônia, Mato Grosso, Acre, Amazonas e Roraima atendendo exigências estabelecidas pelo Mapa”, destaca Marcolan.

Na área de pesquisa em produção florestal, o novo chefe-geral pretende fortalecer parcerias, especialmente com a Embrapa Acre – referência nesta área na região, e também com a Embrapa Florestas. De maneira geral, ele pretende intensificar parcerias externas e internacionais, assim como promover a articulação com públicos estratégicos sensibilizando-os e buscando recursos para a produção científica e transferência de tecnologias.

Para Marcolan, os desafios frente à Chefia-geral da Embrapa Rondônia são muitos, mas acredita que a renovação de ideias com foco na transparência, nas parcerias e no diálogo são ferramentas fundamentais para vencê-los. “É preciso ter foco nas pessoas, são elas que proporcionam resultados em inovações tecnológicas que chegam à sociedade”, afirma o novo chefe-geral.

O novo chefe-geral

Alaerto Marcolan que conduzirá a Embrapa Rondônia nos próximos três anos. Ele substitui o pesquisador César Teixeira, que ocupou o cargo desde 2009. Marcolan é gaúcho, de Constantina – RS, é formado em agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria e possui mestrado e doutorado em Ciência do Solo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Sua história na Embrapa teve início em 2006, em Rondônia, e está sendo marcada por grandes desafios, aprendizados e vitórias.

Na Embrapa Rondônia, além da área de pesquisa, Marcolan atuou na gestão como supervisor do Laboratório de Análise de Solos e Plantas da Unidade, secretário executivo do Comitê Técnico Interno (CTI) e foi presidente do Comitê Local de Propriedade Intelectual (CLPI). Exerceu também o cargo de chefe adjunto de Transferência de Tecnologia e foi chefe adjunto substituto de Pesquisa e Desenvolvimento.

Texto: Renata Siva (MTb 12361/MG)
Embrapa Rondônia
rondonia.imprensa@embrapa.br
Telefone: (69) 3219-5011 / 3219-5041

04/04/2016

O pesquisador Alaerto Marcolan tomou posse como chefe-geral da Embrapa Rondônia em solenidade realizada na manhã desta sexta-feira, 1º de abril, na sede da Unidade, em Porto Velho. O evento reuniu grande público e contou com a presença da presidente em exercício da Embrapa e diretora-executiva de Administração e Finanças da Embrapa, Vania Beatriz Castiglioni. O senador Valdir Raupp, o vice-governador de Rondônia Daniel Pereira e demais autoridade estaduais, municipais e parceiros que atuam no desenvolvimento da agricultura de Rondônia prestigiaram o momento e fortaleceram seu apoio à atuação da Embrapa no estado.

No início da solenidade, César Teixeira, chefe-geral que deixa o cargo, destacou os avanços obtidos em seus seis anos de gestão e deixou os agradecimentos a todos os colegas, instituições e parceiros que deram suporte para que fossem geradas tecnologias de grande importância para Rondônia e o restante do país e que já estão disponíveis para a sociedade. “Tenho muito orgulho de ter participado do desenvolvimento de tecnologias que serão de fundamental importância para o desenvolvimento do país”, ressaltou. César Teixeira continua na nova gestão, agora como chefe de pesquisa. “Quero contribuir com a nova gestão e continuar oferecendo o meu melhor”, complementa.

De acordo com Vania Castiglioni, a nova gestão tem muitos desafios, das mais diversas ordens. O Brasil desponta hoje como um dos principais países a contribuir para a disponibilidade de alimentos no mundo, é neste contexto que estão nossos principais esforços. “Precisamos ter a capacidade de gerir conhecimento disponível para oferecer soluções tecnológicas para os problemas que se apresentam e este é um desafio assumido por todos nós da Embrapa”, afirmou Vania Castiglioni, que deu as boas-vindas ao novo chefe-geral e sua equipe. O senador Valdir Raupp complementou dizendo que “a Embrapa é fundamental para o desenvolvimento do nosso país. Num momento de crise como o que estamos passando é a agropecuária e o agronegócio que seguram a economia, especialmente a de Rondônia. Somos fortes nesta área e isso devemos muito à Embrapa, por todo o desenvolvimento que nos proporciona”.

Já o vice-governador Daniel Pereira destacou a atuação da Embrapa Rondônia no desenvolvimento de tecnologias que estão disponíveis para Rondônia e o mundo e confirmou a continuidade de parceria. “Já trabalhamos juntos e precisamos fortalecer ainda mais esta atuação. Queremos o apoio da Embrapa na piscicultura do estado, que hoje é o maior produtor de peixes em cativeiro do país. Nos ajudem a fazer a multiplicação dos peixes aqui, num processo seguro e com qualidade”, solicitou o vice-governador. Neste sentido, já faz parte dos planos do novo chefe-geral fortalecer ainda mais as parcerias, melhorar a articulação com as bancadas federal e estadual e atender as demandas do estado.

Novidades e avanços na pesquisa

Uma das novidades para a área de pesquisa da Embrapa Rondônia é o olhar voltado também para a piscicultura, grande demanda da região e que Marcolan vai buscar meios para atender, seja com parcerias, com a inserção de atividades nos atuais grupos de pesquisa e também com o fortalecimento de ações de Transferência de Tecnologia nesta área. “Estamos atentos às demandas da sociedade e também com os olhos voltados para o futuro. Vamos fortalecer atuais parcerias e formar as necessárias para que possamos atuar em piscicultura no estado e região”, reforça.

As áreas de pesquisas em café e pecuária também ganharão reforço. Marcolan tem como meta tornar a Embrapa Rondônia referência em café e pecuária na Amazônia e região. Quanto à cafeicultura o trabalho, segundo o novo chefe-geral, já está bem adiantado, com fortes ações e áreas de observação no Acre, Amazonas e também no Mato Grosso. O desenvolvimento e a disponibilização de novas cultivares de café também devem impulsionar este trabalho, assim como a intensificação em pesquisas com mecanização da cafeicultura, que pode minimizar um dos grandes problemas que é a falta de mão de obra no campo. Rondônia é o quinto maior produtor de café do país, o segundo da espécie canéfora (conilon e robusta) e o estado e a região têm potencial para superar estes números e promover um impacto positivo na economia e na vida dos produtores com a adoção de tecnologias nos cafezais.

Na pecuária de leite e de corte, Marcolan ressalta o potencial da Embrapa Rondônia para também ser referência regional, especialmente em pastagem, reprodução animal e qualidade do leite. Para ele, é preciso fortalecer os trabalhos em sistemas integrados para a recuperação de áreas degradadas, aumentando a produtividade sem avançar sobre a floresta. Também há grandes avanços na área de reprodução animal, com tecnologias já acessíveis aos produtores de Rondônia e do mundo e o desenvolvimento de outras também de abrangência internacional, como o Vetscore – avaliação da condição nutricional do rebanho, e novos protocolos para a Inseminação Artificial por Tempo Fixo (IATF), em Blocos. “Uma das ações prioritárias da gestão é colocar o Laboratório de Qualidade Leite em funcionamento. Ele atenderá toda a Amazônia Ocidental, serão realizadas as análises do leite produzido nos estados de Rondônia, Mato Grosso, Acre, Amazonas e Roraima atendendo exigências estabelecidas pelo Mapa”, destaca Marcolan.

Na área de pesquisa em produção florestal, o novo chefe-geral pretende fortalecer parcerias, especialmente com a Embrapa Acre – referência nesta área na região, e também com a Embrapa Florestas. De maneira geral, ele pretende intensificar parcerias externas e internacionais, assim como promover a articulação com públicos estratégicos sensibilizando-os e buscando recursos para a produção científica e transferência de tecnologias.

Para Marcolan, os desafios frente à Chefia-geral da Embrapa Rondônia são muitos, mas acredita que a renovação de ideias com foco na transparência, nas parcerias e no diálogo são ferramentas fundamentais para vencê-los. “É preciso ter foco nas pessoas, são elas que proporcionam resultados em inovações tecnológicas que chegam à sociedade”, afirma o novo chefe-geral.

O novo chefe-geral

Alaerto Marcolan que conduzirá a Embrapa Rondônia nos próximos três anos. Ele substitui o pesquisador César Teixeira, que ocupou o cargo desde 2009. Marcolan é gaúcho, de Constantina – RS, é formado em agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria e possui mestrado e doutorado em Ciência do Solo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Sua história na Embrapa teve início em 2006, em Rondônia, e está sendo marcada por grandes desafios, aprendizados e vitórias.

Na Embrapa Rondônia, além da área de pesquisa, Marcolan atuou na gestão como supervisor do Laboratório de Análise de Solos e Plantas da Unidade, secretário executivo do Comitê Técnico Interno (CTI) e foi presidente do Comitê Local de Propriedade Intelectual (CLPI). Exerceu também o cargo de chefe adjunto de Transferência de Tecnologia e foi chefe adjunto substituto de Pesquisa e Desenvolvimento.

Texto: Renata Siva (MTb 12361/MG)
Embrapa Rondônia
rondonia.imprensa@embrapa.br
Telefone: (69) 3219-5011 / 3219-5041