Voltar

Agricultura

Quando se fala em safrinha, ou segunda safra, o milho é o principal produto em Rondônia. O estado se destaca na produção de milho safrinha na região Norte, sendo os municípios do Cone Sul – Vilhena, Corumbiara, Chupinguaia e Cerejeiras – os maiores produtores. De acordo com o levantamento de maio de 2014 da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção da segunda safra 2014/2015 de milho em Rondônia foi de 284 mil toneladas, quase o triplo da primeira safra (99 mil toneladas). "Em Vilhena quase a totalidade da produção de milho é de segunda safra e a produtividade média de Vilhena para este ano deve ficar acima de 5.400 quilos por hectare, isso em função da boa distribuição das chuvas, que contribuirá para uma boa produção", destaca o pesquisador da Embrapa Rondônia, Vicente Godinho. 
 
O produtor Adair Menegol possui 5.500 hectares de milho safrinha e confirma o aumento da produção para este ano. Segundo ele, a expectativa para este ano é de uma excelente colheita, com aumento de produtividade também. “Este ano choveu bem mais que o esperado e a chuva é a melhor coisa para o milho safrinha. Esperamos colher mais de 6.000 quilos por hectare”, complementa. 
 
A primeira safra em Rondônia é essencialmente a soja e o milho é a principal escolha para safrinha. Mas, segundo Godinho, isso está mudando. “Com certeza a carne será nosso principal produto de safrinha. Com o plantio de pastagem como cultura de segunda safra, a tendência é que em dois ou mais anos o estado deva produzir mais capim do que milho em segunda safra. Isso mostra a lavoura avançando sobre as áreas de pecuária, sendo utilizada como sucessão para a recuperação de pastagens degradadas”, destaca. A Integração Lavoura Pecuária (ILP) deve se consolidar no estado como uma excelente alternativa para recuperação de áreas degradadas e aumento de produtividade no campo. 
 
Para se ter uma ideia, a produtividade média de milho de primeira safra em Rondônia é de 2.170 quilos. No entanto, o estado tem condições de se tornar grande produtor também de milho de primeira safra, pois possui produto de alta tecnologia e regiões com potencial de produtividade elevado, de mais de 10 mil quilos por hectare. “Mas, para que este conjunto (alta tecnologia de milho e áreas com potencial) funcione é preciso que o escoamento do produto seja melhorado e realizado durante todo o ano, o que pode acontecer com as articulações que estão ocorrendo entre Brasil e China, envolvendo diretamente o estado de Rondônia”, e os novos portos do Rio Madeira, comenta.
 
Dia de Campo Safrinha 2015


Estes e outros assuntos foram discutidos durante o Dia de Campo Safrinha 2015, realizado pela Embrapa em Vilhena-RO, no dia 11 de junho, chamando a atenção dos quase 140 produtores, técnicos, empresários do agronegócio e estudantes de diversas cidades de Rondônia que compareceram ao evento. Os participantes também puderam conhecer cultivares, práticas culturais, manejo, sanidade e a comercialização também do sorgo, girassol e integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF) e se preparar para o próximo plantio da safrinha.
 
Realização e parceiros


O Dia de Campo Safrinha 2015 é uma realização da Embrapa Rondônia, conta com o apoio do Banco da Amazônia e tem como parceiros a Rede de Fomento ILPF, a Prefeitura Municipal de Vilhena, Sementes Geneze, Santa Helena Sementes, Limagrain, Du Pont, FMC, Central Agrícola, FAAGRO, Disavel, Coodetec, Cargill, Rical, Amaggi, Sicoob Credisul, Conab, Basf, Menegaz, Yara, Agro Produtiva, Guaporé Máquinas e Colúmbia Tratores Ltda. 
 
 
Renata Silva (MTb 12361/MG)
Embrapa Rondônia

17/06/2015

Quando se fala em safrinha, ou segunda safra, o milho é o principal produto em Rondônia. O estado se destaca na produção de milho safrinha na região Norte, sendo os municípios do Cone Sul – Vilhena, Corumbiara, Chupinguaia e Cerejeiras – os maiores produtores. De acordo com o levantamento de maio de 2014 da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção da segunda safra 2014/2015 de milho em Rondônia foi de 284 mil toneladas, quase o triplo da primeira safra (99 mil toneladas). "Em Vilhena quase a totalidade da produção de milho é de segunda safra e a produtividade média de Vilhena para este ano deve ficar acima de 5.400 quilos por hectare, isso em função da boa distribuição das chuvas, que contribuirá para uma boa produção", destaca o pesquisador da Embrapa Rondônia, Vicente Godinho. 
 
O produtor Adair Menegol possui 5.500 hectares de milho safrinha e confirma o aumento da produção para este ano. Segundo ele, a expectativa para este ano é de uma excelente colheita, com aumento de produtividade também. “Este ano choveu bem mais que o esperado e a chuva é a melhor coisa para o milho safrinha. Esperamos colher mais de 6.000 quilos por hectare”, complementa. 
 
A primeira safra em Rondônia é essencialmente a soja e o milho é a principal escolha para safrinha. Mas, segundo Godinho, isso está mudando. “Com certeza a carne será nosso principal produto de safrinha. Com o plantio de pastagem como cultura de segunda safra, a tendência é que em dois ou mais anos o estado deva produzir mais capim do que milho em segunda safra. Isso mostra a lavoura avançando sobre as áreas de pecuária, sendo utilizada como sucessão para a recuperação de pastagens degradadas”, destaca. A Integração Lavoura Pecuária (ILP) deve se consolidar no estado como uma excelente alternativa para recuperação de áreas degradadas e aumento de produtividade no campo. 
 
Para se ter uma ideia, a produtividade média de milho de primeira safra em Rondônia é de 2.170 quilos. No entanto, o estado tem condições de se tornar grande produtor também de milho de primeira safra, pois possui produto de alta tecnologia e regiões com potencial de produtividade elevado, de mais de 10 mil quilos por hectare. “Mas, para que este conjunto (alta tecnologia de milho e áreas com potencial) funcione é preciso que o escoamento do produto seja melhorado e realizado durante todo o ano, o que pode acontecer com as articulações que estão ocorrendo entre Brasil e China, envolvendo diretamente o estado de Rondônia”, e os novos portos do Rio Madeira, comenta.
 
Dia de Campo Safrinha 2015


Estes e outros assuntos foram discutidos durante o Dia de Campo Safrinha 2015, realizado pela Embrapa em Vilhena-RO, no dia 11 de junho, chamando a atenção dos quase 140 produtores, técnicos, empresários do agronegócio e estudantes de diversas cidades de Rondônia que compareceram ao evento. Os participantes também puderam conhecer cultivares, práticas culturais, manejo, sanidade e a comercialização também do sorgo, girassol e integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF) e se preparar para o próximo plantio da safrinha.
 
Realização e parceiros


O Dia de Campo Safrinha 2015 é uma realização da Embrapa Rondônia, conta com o apoio do Banco da Amazônia e tem como parceiros a Rede de Fomento ILPF, a Prefeitura Municipal de Vilhena, Sementes Geneze, Santa Helena Sementes, Limagrain, Du Pont, FMC, Central Agrícola, FAAGRO, Disavel, Coodetec, Cargill, Rical, Amaggi, Sicoob Credisul, Conab, Basf, Menegaz, Yara, Agro Produtiva, Guaporé Máquinas e Colúmbia Tratores Ltda. 
 
 
Renata Silva (MTb 12361/MG)
Embrapa Rondônia